jusbrasil.com.br
22 de Outubro de 2019

Fake News

Paloma Ramos, Relações Públicas
Publicado por Paloma Ramos
há 7 meses

De modo simples trata-se da notícia falsa que vem com a intenção de propagar uma mentira ou induzir em erro quem está recebendo a mensagem, sendo ela parcial ou total, às vezes misturando um dado real com um fictício, por exemplo.

No Brasil, na última eleição, várias Fake News foram espalhadas referentes á muitos candidatos, com o fim de induzir a desistência do voto dos eleitores, e a notícia falsa confundiu muitas pessoas principalmente na hora de votar, dentre tantas outras situações envolvendo candidatos.

Nos últimos anos com o grande desenvolvimento das mídias digitais as fake News ficaram ainda mais frequentes em nosso cotidiano nos gerando diariamente dúvidas sobre notícias que jamais existiram. Elas estão presentes no Twitter, Facebook, Google e principalmente no WhatsApp sendo que, nos grupos de WhatsApp é mais difícil de se mitigar e identificar os criadores, dada a sua criptografia e ser mais reservado o conteúdo a quem pertence a dado grupo.

Mas por que as notícias falsas são amplamente compartilhadas? Uma Pesquisa do MIT destacou: “As informações falsas têm 70% mais chances de viralizar que as notícias verdadeiras e alcançam muito mais gente. A conclusão é do maior estudo já realizado sobre a disseminação de notícias falsas na internet, realizado por cientistas do Instituto de Tecnologia de Masachussetts (MIT, na sigla em inglês), dos Estados Unidos.

Existem muitos casos de fake News que causaram um estrago enorme na vida das vítimas, por isso é de suma importância checar em outros portais as noticias recebidas , olhar a credibilidade dos portais, observar se a notícia se repete em outros sites seguros e principalmente se houver dúvida, não repassar a notícia. A nossa Constituição salvaguarda a liberdade de expressão, entretanto condena o anonimato. De um modo que, para quem cria uma Fake News, serão aplicados o Código Penal, o Marco Civil e a Constituição Federal, com um julgamento judicial, e dependendo do conteúdo incorrerá o criador nos crimes contra a honra de calúnia, injúria e difamação que contem no Código Penal (138 a 140).

Paloma Ramos ,Relações Públicas - paloma.consultor@gmail.com

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)